Monday, May 14, 2007

..: NORTON :.. Review Ypsilon / Público

Norton - Kersche
Edição: Skud & Smarty; Distribuição Naked

3/5
O indie, tal como era entendido originalmente, praticamente não existe. Para além de se ter multiplicado numa miríade de expressões diversas entre si, também a noção de independente, no sentido industrial do termo, dificilmente se aplica num panorama tão fragmentado como o da actualidade. Os albicastrenses Norton, que regressam depois da estreia "Pictures From Our Thoughts" e de um álbum de remisturas, "Frames", são indies à antiga. Não tanto pela música, repleta de traços de actualidade - nas programações electrónicas que dão corpo às canções, no cuidado posto no preenchimento de todo o espaço sonoro -, antes pela atitude que a música denuncia. "Kersche" é um conjunto de frágeis canções montadas com cuidado extremo, como convém a descendentes do "twee" - que, como se sabe, é corruptela de "sweet". A pop trauteável que, a espaços, se denunciava na estreia desaparece e, em seu lugar, surge uma sensibilidade de caixinha de música feita do tom nocturno do Rhodes, de discretas reverberações eléctricas, da Noruega dos Múm e dos Royksopp - mais referência sónica que explícita. "Kersche" carrega consigo o som de uma adolescência eternamente melancólica mas, por vezes, desejávamos que se libertasse desse peso. Até lhe descobrimos pontos de fuga: o crescendo final de "Cinnamon & wine", de olho nos Sigur Rós, ou o imprevisível encontro Blur / Stereolab que imaginamos durante a pop estelar de "Spherical Hearts", uma das melhores canções do disco.
Mário Lopes
(In Jornal Ypsilon / Público - 4 Maio 2007)

0 Comments:

Post a Comment

<< Home